Agendamento pelo WhatsApp
Olá! Clique em uma das opções abaixo e nós retornaremos o mais rápido possível.
Assessoria

Assessoria Financeira Sorocaba Consultoria Financeira Sorocaba Organização Financeira Sorocaba



Consultoria Empresarial Sorocaba Franquia Financeira Sorocaba Redução de Custos Sorocaba



Assessoria Financeira Sorocaba Consultoria Financeira Sorocaba Organização Financeira Sorocaba



Consultoria Empresarial Sorocaba Franquia Financeira Sorocaba Redução de Custos Sorocaba



Sócios e casados: como fazer a empresa prosperar sem enlouquecer?

Sócios e casados devem separar as funções, definir os salários, conversar sobre os problemas e fazer um contrato bem feito!


Sócios e casados: como fazer a empresa prosperar sem enlouquecer? Consultoria Empresarial Sorocaba Franquia Financeira Sorocaba Redução de Custos Sorocaba

Se gestos inofensivos em casa, como deixar a toalha jogada no chão ou cabelos caídos no box, podem minar um casamento, como então lidar quando seu marido ou esposa se torna seu sócio na empresa? Para buscar a harmonia na relação entre sócios e casados, pensando no caixa da empresa, acompanhe este artigo até o final.

 

Então, muita calma nessa hora! Antes de tomar essa decisão, saiba que o ordenamento jurídico impõe algumas regras para a sociedade empresarial entre marido e esposa.

 

Portanto você sabia que o artigo 977 do Código Civil (INSERIR LINK http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10406.htm), aprovado em 2002, estabelece que casais unidos em comunhão universal de bens ou em separação obrigatória (quando um dos cônjuges tem mais de 60 anos) não podem constituir sociedade empresarial?

 

Consequentemente no primeiro caso a Justiça considera que o casal já partilha dos bens em comum acordo e, no segundo, busca evitar o famoso “golpe do baú”.

 

Dessa forma em todos os outros casos, a relação jurídica entre sócios e casados é possível. Mas veremos adiante como aperfeiçoar essa relação para o bem do negócio.

 

Separar questões pessoais das profissionais é essencial

 

A regra é clara: os problemas de casa devem ser discutidos em casa, e os problemas da empresa devem ser debatidos na empresa.

 

O diálogo é fundamental, pois colocar tudo em pratos limpos é muito mais proveitoso que jogar as amarguras para debaixo do tapete.

 

Afinal, desta forma se otimiza o tempo e se evita mal-estar frente aos funcionários ou, pior ainda, diante dos clientes.

 

Embora marido e mulher não sejam parentes, ao se tornarem sócios eles fazem parte do conceito de empresa familiar e, portanto, devem primar pelo profissionalismo.

 

Por isso é importante nutrir a relação com muita paciência e tolerância. Segundo especialistas, a amizade e confiança são fundamentais no binômio “sócios e casados”. O casal em boa sinergia cresce junto.

 

(Re) Comece dividindo tarefas e salários

 

Sócios e casados: como dividir as responsabilidades dentro da empresa? Para marido e mulher que estão começando um negócio juntos ou para aqueles que querem corrigir erros do passado, é muito útil separar as tarefas.

 

Por conta disso um sócio pode ocupar a área operacional e outro, a administrativa, conforme a habilidade e o talento de marido e esposa.

 

Mas um tema que pode ser a glória ou a derrocada entre sócios e casados é o dinheiro. Para organizar as finanças, é bom contar com a ajuda de consultores (INSERIR LINK https://www.fastassessoria.com.br/equipe) profissionais que tenham uma visão isenta e imparcial.

 

Dessa forma é vital combinar tudo antes de firmar a sociedade, definindo o rendimento fixo de cada cônjuge através pró-labore.

 

O pró-labore é diferente do salário. A expressão latina representa “pelo trabalho” e consiste na remuneração do administrador de uma empresa. Portanto é necessário constar no contrato social da empresa quem são os administradores do empreendimento.  

 

Assim como a sociedade conjugal, a sociedade empresarial também é um contrato e pode ser rescindido. Por isso, casados e sócios devem ter em mente que, se eventualmente ocorrer uma separação seguida de divórcio, o procedimento com as cotas da sociedade deve constar do contrato social.

 

A união pode acabar, mas a empresa não. Portanto, independentemente da manutenção do casamento, é imprescindível pensar na continuidade da saúde financeira da empresa.

 

Para isso ocorrer da forma mais profissional possível, é vital contar com a assessoria de uma empresa séria e especializada em empresas familiares, como a Fast Assessoria Financeira. Se você sentiu a necessidade de obter mais informações sobre sócios e casados entre em contato (INSERIR LINK https://www.fastassessoria.com.br/contato) conosco.

 

Continue acompanhando as notícias do nosso blog.

 

Hygor Duarte - CEO Grupo FAST



Data: 27/05/2019




Compartilhar: