Grupo Fast Assessoria Financeira para sua empresa

Fast Assessoria Planejamento financeiro para empresas familiares



Fast Assessoria Saiba se a sua empresa está realmente gerando lucro



Fast Assessoria BPO Financeiro, Captação de créditos, contablidade, redução de custos e precificação



Grupo Fast Assessoria Financeira para sua empresa





Como administrar uma empresa familiar em 5 dicas simples

Data: 28/10/2019

Trabalhar em família não é tarefa fácil na maioria dos casos. Mas é preciso destacar que os negócios familiares são a espinha dorsal da economia brasileira. Pelo menos 85% dos empreendimentos são comandados por pessoas do mesmo grupo familiar no Brasil. Então, se você está nesta estatística, confira neste post cinco dicas simples de como administrar uma empresa familiar.

 

Embora não haja uma definição conclusiva sobre o que é uma empresa familiar, tratam-se de negócios comandados por pessoas com laços familiares e que ainda empregam outros parentes no empreendimento.

 

Geralmente, elas nascem com o casal que tem um espírito empreendedor e vão incorporando os filhos conforme eles vão crescendo e buscando uma profissão.

 

Desse modo, muitos filhos até acabam fazendo faculdade e quase seguindo ramos diferentes. Porém decidem voltar-se para o núcleo familiar, vendo com bons olhos a empresa familiar.

 

Afinal de contas, o negócio se diferencia de um emprego com carteira assinada numa empresa qualquer por, justamente, envolver amor entre os membros diretores. Afinal de contas, pais e filhos só querem o bem do seu ente querido.

 

Entretanto, a convivência, os desafios do cotidiano, as opiniões divergentes desde as pequenas às grandes ações acabam comprometendo essa relação.

 

Devido a esse desenrolar dos fatos, é muito importante focar na empresa e implementar algumas medidas para que se coloque a sobrevivência e a manutenção do CNPJ em primeiro plano.

 

Vamos às cinco dicas de como administrar uma empresa familiar? Veja:

 

1 – Separe empresa e família

 

É essencial não misturar os problemas familiares com os problemas da empresa. Também é necessário se policiar para manter uma postura profissional em frente aos funcionários e, especialmente, perante os clientes.

 

Embora as empresas familiares representem 85% do total de empreendimentos, segundo o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), os clientes podem se sentir inseguros em fechar contratos com empreendimentos familiares que não transmitam um perfil profissional no trato com o público interno e externo.

 

Desse modo, antes de formalizar uma sociedade em família, é crucial deixar bem claro a todos os envolvidos que deve haver dois lados distintos e que não se misturam: o familiar e o empresarial.

 

2 – Defina atribuições e indicadores

 

Não é porque o negócio é conduzido por pai e filho, por exemplo, que os membros não podem ser avaliados na sua administração. Portanto, é bom colocar as cartas na mesa.

 

Estabeleça responsabilidades para cada membro. Afinal, o parente ficará responsável pela parte operacional, administrativa, financeira, contábil, jurídica ou outra?

 

Enfim, a partir desse compromisso assumido é de fundamental importância criar indicadores que meçam o cumprimento de prazos, o relacionamento interpessoal, a proatividade, entre outros aspectos.

 

3 – Determine salários e outros benefícios

 

Não é porque você virou empresário que não terá mais direito a férias, não é mesmo? Afinal de contas é fundamental parar para recarregar as energias e voltar com toda a energia possível.

 

Por isso, estando à frente de uma empresa familiar, é importante sentar e conversar com o outro gestor, membro da família, para definir quando serão os seus dias de descanso.

 

Além disso, suas férias e suas saídas para resolver questões realmente familiares, como acompanhar um parente numa consulta médica, participar de uma reunião de pais na escola do filhos etc.

 

Outro detalhe que é uma prática comum nas empresas familiares é o pró-labore, que funciona como o salário do sócio ou proprietário.

 

A empresa familiar deve pagar o pró-labore aos membros fundadores que exercem alguma atividade no negócio. O valor deve ser definido após a identificação do ponto de equilíbrio financeiro do negócio.

 

4- Faça um planejamento estratégico

 

Existem várias ferramentas disponíveis para que você possa planejar o desenvolvimento do seu negócio. Na internet em geral e nos canais do YouTube você pode acompanhar influenciadores digitais que atuam na área de planejamento estratégico.

 

Porém também pode aquecer o network e participar de palestras que orientam você, como empresário, a colocar no papel suas metas, prazos para cumprimento e meios para atingir seus objetivos.

 

É interessante lembrar que, numa empresa familiar, todos os parentes envolvidos na gestão devem concordar com os mesmos caminhos para se atingir o resultado esperado.

 

Portanto, o alinhamento de ideias e a empatia favorecem as relações comerciais entre os familiares.

 

Dentro desse planejamento estratégico, portanto, é interessante observar que ao se tratar de uma empresa familiar o propósito é tornar o empreendimento sólido o suficiente para transpor gerações.

 

Aliás um dado intrigante é que somente 5% dos negócios familiares conseguem chegar à terceira geração, segundo pesquisa do Sebrae, fechando as portas antes desse patamar.

 

Em suma, a falta de um planejamento é uma das responsáveis pela fragilidade da empresa familiar após a segunda geração, comprometendo assim todo o legado dos antepassados.

 

5- Pratique uma gestão profissional

 

Fazer o que gosta ao lado de pessoas importantes é uma razão a mais para motivar o empresário a se dedicar ao desenvolvimento do seu negócio.

 

Para quem já passou por outras empresas, já iniciou um empreendimento sozinho ou simplesmente aprendeu na faculdade como administrar um negócio, colocar em prática uma gestão profissional numa empresa familiar é muito compensador.

 

Por isso, a última dica deste artigo remete ao olhar profissional do empreendedor brasileiro, que muitas vezes aprende depois de errar e lidar com os efeitos das próprias escolhas.

 

Buscar o aprendizado contínuo, parcerias engrandecedoras e treinamentos constantes são atitudes propulsoras para alcançar bons resultados numa empresa familiar.

 

Ao pensar em gestão profissional, pensa-se logo em terceirização. O Business Process Outsourcing (BPO) continua em alta no mundo corporativo. Ele significa, na prática, a terceirização de atividades que não estão no escopo da especialidade do negócio.

 

É o caso, por exemplo, da contratação de empresas especializadas em gestão financeira, tecnologia da informação, marketing, entre outros. Assim, os gestores da empresa familiar terão a oportunidade de se concentrar naquilo em que realmente são especialistas.

 

Em resumo, conduzir uma empresa familiar é como administrar qualquer outra empresa, porém, com o compromisso de separar problemas domésticos dos profissionais e manter uma postura visionária e qualificada.

 

Seguindo o raciocínio da importância da terceirização e da necessidade de se construir uma marca sólida, a Fast Assessoria Financeira pode contribuir com a gestão financeira profissional do negócio.

 

Especializada em empresas familiares, com centenas de clientes atendidos neste segmento, a Fast tem ferramentas para organizar o caixa e ajudar a melhorar os resultados da sua empresa.

 

Para conhecer nossos serviços entre em contato e agende uma visita de nossos consultores.



Data: 28/10/2019




Compartilhar:

Saiba se a sua empresa está realmente gerando lucro
Postes Recentes
Empresa sem controle financeiro: perigo à vista
Dirigir uma empresa sem um controle financeiro é como dirigir um carro, à noite, com os faróis desligados.
FALTA DE DINHEIRO NO CAIXA DA EMPRESA
O que acontece normalmente com uma empresa que está sem dinheiro em caixa? Em vez de ela trabalhar com o dinheiro do cliente, é o cliente que trabalha com o dinheiro dela.
Pagamento de contas a prazo
Contas a pagar, contas a receber. Aprenda como ganhar dinheiro com isso em sua empresa.
Empresa sem controle financeiro: perigo à vista
Dirigir uma empresa sem um controle financeiro é como dirigir um carro, à noite, com os faróis desligados.
FALTA DE DINHEIRO NO CAIXA DA EMPRESA
O que acontece normalmente com uma empresa que está sem dinheiro em caixa? Em vez de ela trabalhar com o dinheiro do cliente, é o cliente que trabalha com o dinheiro dela.